MAIO AMARELO: RESPEITO E RESPONSABILIDADE, PRATIQUE NO TRÂNSITO

Você sabia que os acidentes de trânsito são ranqueados em primeiro lugar como principais responsáveis por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade, ficam em segundo lugar para a faixa de 5 a 14 anos, e em terceiro lugar para a faixa de 30 a 44 anos?

Um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS), contabilizou, em 2009, aproximadamente 1,3 milhão de mortes causadas por acidente de trânsito em 178 países. Estima-se que aproximadamente 50 milhões de pessoas tenham sobrevivido, no entanto apresentam alguma sequela.

O mais preocupante é que o número de acidentes de trânsito não para de subir. Acompanhamos diariamente nos noticiários o aumento na taxa de acidentes e mortes onde, grande parte dos casos, são causados por imprudência e até mesmo desinformação.

Você conhece o Maio Amarelo?

 O maio amarelo tem como propósito chamar a atenção da sociedade para o constante aumento na taxa de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

O objetivo deste movimento é gerar, de forma coordenada, ações entre o Poder Público e a sociedade civil com a intenção de colocar em pauta assuntos relacionados à segurança no trânsito e, consequentemente, conscientizar toda a sociedade de que esta é uma pauta coletiva e de responsabilidade de todos.

O envolvimento de diversos segmentos como órgãos governamentais, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil é de grande importância para a discussão do tema. Com isso, espera-se maior engajamento em ações de trânsito a fim de se propagar o conhecimento abordando toda a dimensão que a questão do trânsito exige.

Por que Maio Amarelo?

 A Organização das Nações Unidas decretou, em maio de 2011, a Década de Ação para Segurança no Trânsito e, com isso, o mês de maio se tornou referência mundial para o balanço das ações que o mundo inteiro realiza.

A cor amarela simboliza atenção e também a sinalização e advertência no trânsito e, por este motivo, foi escolhida como cor símbolo desta importante campanha.

Maio Amarelo em 2021

Neste ano, a campanha do Maio Amarelo coloca em debate as atitudes que têm faltado nos últimos tempos em diversos ambientes de convivência: o respeito e a responsabilidade.

Para José Aurelio Ramalho, diretor presidente do Observatório Nacional de Segurança, esta reflexão traz ao debate a atual situação que encontramos no trânsito, impaciência e intolerância.

Sabemos que este assunto é responsabilidade de todos e, por isso, precisamos analisar nossas ações no trânsito, seja como condutor ou pedestre. Apenas com ações coletivas e concretas poderemos melhorar os assustadores índices  relacionados aos acidentes de trânsito. Está em nossas mãos mudar esta situação.

Curso de Direção Defensiva

O CFC VIACENTRO oferece o curso livre de Direção Defensiva voltado para:

- Qualificação e avaliação de profissionais que atuam com transporte de carga, passageiros ou utilizam veículo para deslocamento de chegada e saída do trabalho.

Destinamos esse curso para empresas que visam ampliar o seu conceito de gestão e excelência, perante seus colaboradores, orientando e avaliando estes profissionais que utilizam veículo em seu dia-a-dia, seja para transporte ou deslocamentos.

O curso é baseado em aliar teoria e prática de forma dinâmica e precisa, visando ampliar a visão do colaborador em relação às novas regras gerais de circulação em via pública, o método correto de utilizar a Direção Defensiva e os cuidados na manutenção do veículo.

Formato do curso;

2 horas de aulas teóricas e 2 horas de avaliação prática.

Para melhor aproveitamento, pedimos que sejam enviados no máximo 4 colaboradores por vez, para melhor efetividade do Curso.

A definição de datas é realizada em conjunto com a empresa contratante.

Após realização do curso é emitido o parecer com as características de cada condutor e o mesmo enviado para o setor competente.

Número do lacre no documento ajudará a identificação de fraudes em veículos

Todos os veículos que passarem por processos que exigem lacre de placa terão o número incluído no documento do veículo (CRLV) a partir de 5 de janeiro. A medida, prevista pela Resolução 512/14, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), vai permitir que a fiscalização identifique mais facilmente clonagem e outros tipos de fraudes.

Em casos como primeiro emplacamento, mudança de categoria, alteração de município, quando há a troca de selo, os novos documentos não poderão ser impressos enquanto não for inserido o número do lacre no sistema.

A inclusão do número do lacre é uma adaptação ao novo modelo de Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) previsto na resolução e está condicionada ao término do estoque dos formulários antigos. O número do lacre já consta na consulta à base estadual, mas a informação no documento permitirá que a fiscalização identifique mais facilmente possíveis fraudes, tomando as medidas preventivas.
Texto: Mariana Goldmeier Tochetto/DetranRS
Edição: Léa Aragón/Secom                                                                                                                                              Fonte: rs.gov.br